Pages

Monday, February 15, 2010

Aventura de inverno


Esse fim de semana fui à Nova York, mais uma vez. Não sei se posso chamar de viagem ou aventura. Acredito que a segunda definição é mais apropriada. Mas só pra esclarecer, independente de qualquer coisa, NY sempre vale a pena. É sempre maravilhoso estar lá.

Bom... Pra começar, na ida, o ônibus quebrou com duas horas de viagem (o percurso todo dura quatro horas). Tivemos que esperar na estrada por um outro ônibus substituto. A sorte é que ele estava, apenas, a 15 minutos do local onde o nosso parou. Imagina se viesse de Boston? Esperar duas horas na estrada não seria nada agradável. Ok, 15 minutos se passaram e o problema foi resolvido. Chegamos um pouco depois da hora, mas tudo bem. No stress!

Saímos da rodoviária e fomos pro hotel. Fizemos o check-in, deixamos nossas malas e fomos procurar um lugar pra almoçar. Tudo corria bem quando de repente Dani diz, "Meu Celular! Perdi meu celular!". Minha reação, "ham?". 
Como se não tivesse bastado o transtorno de ter que trocar de ônibus, ela ainda perde o celular. Ok. Vamos na rodoviária ver se ficou no banheiro. Não. Não estava no banheiro. Então vamos ligar pro "Achados e Perdidos". Também não está lá. Dizem pra irmos à polícia ver, se por acaso, não haviam devolvido lá. Também não. Não tendo mais o que fazer, decidimos esquecer o fato e relaxar. Aproveitar o dia. Fomos almoçar no Planet Hollywood. Falei pro garçon que era aniversário dela. O VJ colocou um clipe de P!nk em homenagem a ela, que passou em todos os telões e quando terminamos de comer, trouxeram uma sobremesa com uma vela acesa e os garçons e o VJ vieram com um microfone na mão pedindo que todo mundo cantasse parabéns. Ela ficou mais vermelha do que uma pimenta. Mas valeu a pena. Foi engraçado. Valeu pra esquecer do celular.

Pra somar ao episódio do ônibus e à perda do telefone, tivemos ainda que lutar contra o frio e o vento que estavam insuportáveis. O vento tava muito forte e isso fazia a sensação térmica ser pior ainda. Meu rosto queimou de tanto frio. Andar nas ruas o dia inteiro foi o maior desafio. Porque ninguém viaja pra ficar trancado no hotel, né?

Fomos à exposição das obras e invenções de Leonardo Da Vinci no Discovery Center. Excelente. Pena que eu estava me sentindo muito mal porque só havia dormido uma hora na noite anterior. A impressão que eu tinha é que ía desmaiar a qualquer momento. Tava com muito sono. Muito cansada. Faltava ar. Mas mesmo assim ainda consegui me manter de pé até às duas da manhã. Não me perguntem como porque não tenho a menor idéia.

Na hora do jantar, haviamos decidido que comemoraríamos o aniversário dela no Red Lobster. Só esquecemos que como no dia seguinte (hoje, 14 de Fev) seria dia dos namorados aqui, o restaurante estava lotado de um jeito que eu nunca vi em canto nenhum. A média de espera pra uma mesa estava de duas horas. Mesmo tendo capacidade pra 500 pessoas. Impressionante. Mas... Como todos os restaurantes estariam, mais ou menos, do mesmo jeito, decidimos esperar. Até que depois de uma hora em pé esperando, a fome e a exaustão por não ter dormido nada bateram e eu não aguentei mais. Se ficasse mais um minuto em pé ía desmaiar. Decidimos então mudar de restaurante. Fomos pro Bubba Gump. Demos sorte, 35 minutos de espera apenas. Já haviamos ido lá e gostamos muito, então não ía ter problema. A comida estava espetacular. Pra minha surpresa, no cardápio de bebidas encontrei caipirinha de abacaxi com limão. Claro que eu pedi uma. Delícia. Super astral o restaurante. Adoro ir lá. No fim de tudo ela ainda ganhou uma sobremesa da garçonete por conta do aniversário.

Depois de quase 48 horas acordada, finalmente fomos pro hotel e eu desabei na cama. Dormi que nem uma pedra. Só levantei da cama porque tinha que tomar café e fazer o check out. Senão acho que eu tava lá até agora.

Muitos imprevistos mas no fim das contas valeu muito a pena. Como eu disse no começo, foi uma aventura. Mas NY é NY e nada muda isso. Voltar pra casa é sempre muito bom, mas ter que sair de lá deixa sempre uma sensação de vazio imensa. Agora não sei quando vou voltar novamente. Espero que seja logo.

2 comments:

priscila toller said...

Nossa que pena q dani perdeu o celular... é super chato isso! pelo visto vcs se divertiram apesar dos problemas :)

Edilson said...

Querida ......

Por incrível que pareça não sei seu nome ainda ou me esqueci (forgive me). Que delícia de programa que fizeram hein?rs
N.Y é o sonho dos sonhos de qualquer pessoa. Um mega passeio sempre. Bjssss e te espero no lua hein.
www.lua2gatos.blogspot.com

Monday, February 15, 2010

Aventura de inverno


Esse fim de semana fui à Nova York, mais uma vez. Não sei se posso chamar de viagem ou aventura. Acredito que a segunda definição é mais apropriada. Mas só pra esclarecer, independente de qualquer coisa, NY sempre vale a pena. É sempre maravilhoso estar lá.

Bom... Pra começar, na ida, o ônibus quebrou com duas horas de viagem (o percurso todo dura quatro horas). Tivemos que esperar na estrada por um outro ônibus substituto. A sorte é que ele estava, apenas, a 15 minutos do local onde o nosso parou. Imagina se viesse de Boston? Esperar duas horas na estrada não seria nada agradável. Ok, 15 minutos se passaram e o problema foi resolvido. Chegamos um pouco depois da hora, mas tudo bem. No stress!

Saímos da rodoviária e fomos pro hotel. Fizemos o check-in, deixamos nossas malas e fomos procurar um lugar pra almoçar. Tudo corria bem quando de repente Dani diz, "Meu Celular! Perdi meu celular!". Minha reação, "ham?". 
Como se não tivesse bastado o transtorno de ter que trocar de ônibus, ela ainda perde o celular. Ok. Vamos na rodoviária ver se ficou no banheiro. Não. Não estava no banheiro. Então vamos ligar pro "Achados e Perdidos". Também não está lá. Dizem pra irmos à polícia ver, se por acaso, não haviam devolvido lá. Também não. Não tendo mais o que fazer, decidimos esquecer o fato e relaxar. Aproveitar o dia. Fomos almoçar no Planet Hollywood. Falei pro garçon que era aniversário dela. O VJ colocou um clipe de P!nk em homenagem a ela, que passou em todos os telões e quando terminamos de comer, trouxeram uma sobremesa com uma vela acesa e os garçons e o VJ vieram com um microfone na mão pedindo que todo mundo cantasse parabéns. Ela ficou mais vermelha do que uma pimenta. Mas valeu a pena. Foi engraçado. Valeu pra esquecer do celular.

Pra somar ao episódio do ônibus e à perda do telefone, tivemos ainda que lutar contra o frio e o vento que estavam insuportáveis. O vento tava muito forte e isso fazia a sensação térmica ser pior ainda. Meu rosto queimou de tanto frio. Andar nas ruas o dia inteiro foi o maior desafio. Porque ninguém viaja pra ficar trancado no hotel, né?

Fomos à exposição das obras e invenções de Leonardo Da Vinci no Discovery Center. Excelente. Pena que eu estava me sentindo muito mal porque só havia dormido uma hora na noite anterior. A impressão que eu tinha é que ía desmaiar a qualquer momento. Tava com muito sono. Muito cansada. Faltava ar. Mas mesmo assim ainda consegui me manter de pé até às duas da manhã. Não me perguntem como porque não tenho a menor idéia.

Na hora do jantar, haviamos decidido que comemoraríamos o aniversário dela no Red Lobster. Só esquecemos que como no dia seguinte (hoje, 14 de Fev) seria dia dos namorados aqui, o restaurante estava lotado de um jeito que eu nunca vi em canto nenhum. A média de espera pra uma mesa estava de duas horas. Mesmo tendo capacidade pra 500 pessoas. Impressionante. Mas... Como todos os restaurantes estariam, mais ou menos, do mesmo jeito, decidimos esperar. Até que depois de uma hora em pé esperando, a fome e a exaustão por não ter dormido nada bateram e eu não aguentei mais. Se ficasse mais um minuto em pé ía desmaiar. Decidimos então mudar de restaurante. Fomos pro Bubba Gump. Demos sorte, 35 minutos de espera apenas. Já haviamos ido lá e gostamos muito, então não ía ter problema. A comida estava espetacular. Pra minha surpresa, no cardápio de bebidas encontrei caipirinha de abacaxi com limão. Claro que eu pedi uma. Delícia. Super astral o restaurante. Adoro ir lá. No fim de tudo ela ainda ganhou uma sobremesa da garçonete por conta do aniversário.

Depois de quase 48 horas acordada, finalmente fomos pro hotel e eu desabei na cama. Dormi que nem uma pedra. Só levantei da cama porque tinha que tomar café e fazer o check out. Senão acho que eu tava lá até agora.

Muitos imprevistos mas no fim das contas valeu muito a pena. Como eu disse no começo, foi uma aventura. Mas NY é NY e nada muda isso. Voltar pra casa é sempre muito bom, mas ter que sair de lá deixa sempre uma sensação de vazio imensa. Agora não sei quando vou voltar novamente. Espero que seja logo.

2 comments:

priscila toller said...

Nossa que pena q dani perdeu o celular... é super chato isso! pelo visto vcs se divertiram apesar dos problemas :)

Edilson said...

Querida ......

Por incrível que pareça não sei seu nome ainda ou me esqueci (forgive me). Que delícia de programa que fizeram hein?rs
N.Y é o sonho dos sonhos de qualquer pessoa. Um mega passeio sempre. Bjssss e te espero no lua hein.
www.lua2gatos.blogspot.com